Cocker Spaniel Americano

          

Tamanho: 11 – 13kg, 34 – 39cm
Cuidados com a pelagem: difícil
Adestramento: fácil
Cores: variadas

Na década de 30, surgiu um conflito entre criadores de Cocker na América. Alguns queriam cães para trabalho, outros queriam para exibições, com ênfase no impacto da pelagem e do focinho. Os que preferiam habilidades de trabalho se juntaram para formar um novo clube, deixando o Clube do Cocker Spaniel original, fundado em 1881. Criaram uma variedade “americanizada” um pouco menor: mais baixa na cernelha, com cabeça e focinho menores, pêlo mais longo, denso e sedoso e uma inclinação mais marcante da linha dorsal.
Nos EUA, o nome “Cocker spaniel” refere-se a este novo Cocker americano, e a variedade mais antiga chama-se Cocker spaniel inglês. Na Grã-Bretanha, o cão mais antigo é o Cocker spaniel e o mais novo, o Cocker spaniel americano.
Estão quase sempre na lista das dez raças favoritas em todos os países. Todos retêm os instintos de caça, mas a popularidade do Cocker americano, sobretudo nas Américas, além de no Japão, baseia-se no seu charme, aparência impactante e companheirismo. É uma raça amável que forma fortes laços com sua família humana. Infelizmente têm uma gama de disfunções hereditárias, como epilepsia, problemas oculares, cutâneos e renais. Os criadores responsáveis verificam se os cães têm esses problemas antes dos cruzamentos.

A dama e o vagabundo

Raça mais popular entre os americanos desde o final da década de 30 e pelos 50 consecutivos, o Cocker americano foi escolha óbvia para retratar a gentil e refinada Dama do filme da Disney, de 1955, A dama e o vagabundo. Com orelhas esvoaçantes, a cadelinha mimada personificou uma inocente fora de casa, protegida pelo deselegante e doce Vagabundo. O romance floresce com o espaguete e o restante todo o mundo sabe.