Tártaro (Doença Periodontal)

          

Apesar da principal reclamação dos donos serem o mau hálito dos cães, a principal vítima é o próprio animal que pode sentir dor e ter falta de apetite. Estima-se que mais de 80% dos cães acima de 3 anos sejam afetados por doenças nos dentes e gengivas. As doenças periodontais, como são chamadas, variam de acordo com a sua gravidade. Em casos extremos, essas doenças podem levar a infecção generalizada e morte do cão. O mau hálito é decorrente, dentre outras causas, da placa bacteriana. A Placa é composta por proteínas, células mortas e de descamação, saliva, restos de alimentos e principalmente BACTÉRIAS, que através do processo de fermentação produzem substâncias que são responsáveis por este terrível mau cheiro (o bafo). Além disso, essas substâncias agridem o Periodonto (estruturas que estão ao redor dos dentes, sendo responsáveis por sua proteção e sustentação) e caracterizando a doença periodontal. Inicialmente há inflamação da gengiva (dor, vermelhidão, inchaço e sangramento) e, posteriormente, perda do dente devido ao comprometimento de sua sustentação (reabsorção óssea e retração da gengiva). Muito pior que a perda dos dentes é a possibilidade de as bactérias entrarem na corrente sanguínea, causando danos muitas vezes irreversíveis em órgãos vitais, como coração, fígado, sistema nervoso e rins, comprometendo assim a saúde do animal. A saúde bucal está intimamente relacionada com a saúde geral. Assim, um animal que não tem uma boa saúde bucal terá a sua saúde geral comprometida, o que significa menos anos de vida. Daí as visitas regulares ao Médico Veterinário e um programa de cuidados bucais em casa serem de extrema importância para a saúde dos animais. Portanto, este é um assunto sério, onde há necessidade de mudar o conceito de que "É normal animal ter bafo...". Tártaro. O tártaro nada mais é do que a Placa Bacteriana mineralizada pelos sais presentes na saliva. A sua presença deixa a superfície dos dentes irregular, facilitando o acúmulo de mais Placa, e agravando a doença.

Persistência dos 'dentes de leite'. A persistência dos dentes decíduos (de leite) após 7 meses de idade no cão e no gato também é muito frequente, e leva a problemas de oclusão (dentes mal posicionados, desgaste dos dentes, traumas na gengiva) e predispõe ao aparecimento precoce da Doença Periodontal. Uma regra básica para se evitar maiores problemas é que, quando o dente permanente começar a erupcionar, o dente de leite já deve ter sido esfoliado ou estar abalado. Caso não exista essa condição, o dente de leite em questão deverá ser extraído imediatamente, evitando que o dente definitivo "nasça torto" e que ocorra acúmulo precoce de Placa entre os dentes (o de leite e o permanente).

Principal sinal de doença dentaria: Mau hálito, dentes com alteração na coloração, gengiva avermelhada ou inchada, perda de dentes espontaneamente, dificuldade em morder, roer ou comer, dentes fraturados ou quebrados, perda de peso, salivação com odor alterado ou com estrias de sangue, dor ao abrir ou manipular a boca e região próxima à boca do seu animal, movimentação da língua excessiva como se tivesse retirando algo de dentro da boca, inchaço ou fistulação abaixo dos olhos. Infelizmente a Doença Periodontal não tem cura, porém, pode ser controlada.

Cuidados: Escove os dentes do seu animal regularmente (usando creme dental veterinário), alimente seu animal com uma ração balanceada, evite comidas caseiras, doces e farináceos, proporcione ao seu animal brinquedinhos bucais, roedores, ossinhos e snacks, visite seu veterinário pelo menos duas vezes ao ano para exame bucal. Somente o Médico Veterinário esta qualificado para tratar dos dentes de seus animais e se necessário fazer a remoção do tártaro com uso de anestesia e aparelhos apropriados. Em alguns casos, devido à gravidade do problema, será necessária a extração de alguns dentes, visando a melhor qualidade de vida de seu animal.

Importante! Existe uma dificuldade de o Medico Veterinário convencer os proprietários a extrair alguns dentes, alegando ter “pena”, medo ou até mesmo se preocupando apenas com a estética, no entanto, esse procedimento só será oferecido em casos necessários. Em algumas situações o animal não demonstra a dor que essa doença provoca e outras doenças, erroneamente, não são relacionadas aos problemas bucais. Confie em seu Veterinário, proteja seus animais.

Clinica Veterinária Animalpet.

 

Médicos Veterinários:

Dr. Valter Scucato Junior CRMV-SP 14300,

Dr. Rogério Henrique Scucato CRMV-SP 19884.